sábado, 27 de maio de 2017

Chuva de brancos

Acabados de lançar ou em lançamento, uma escolha. Boas provas!

15,5 - Viognier regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
14% vol.
Fumados ligeiros no nariz, É na boca que se sente mais pujança, com notas cítricas logo de início, a abrir em flores e fruta de caroço. Persistência assinalável.

15 - Chardonnay regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
14% vol.
Alguma tipicidade da casta, ambiente geral de frescura, comprimento médio de boca.

16 - Vermentino regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
12% vol.
Mineral e fresco na boca, o nariz mostra flores e limão. Desenvolve devagar e com riqueza, para um final elegante e equiilbrado.

16,5 - Arinto regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
14,5% vol.
Ataque vigoroso mas equilibrado no início, sugere depois um mineral ligeiramente salino, ao mesmo tempo que cria uma palete interessante de notas frutadas. Final longo.

15 - Verdelho regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
12,5% vol.
Força e vigor, mais do que elegância e subtileza, resultando numa leitura algo desequilibrada do vinho.

17 - Alvarinho regional alentejano branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
14% vol.
Vinho inteiro, selva aromática atraente, copioso e comprido na boca. Boa presença e evolução harmoniosa de todos os componentes, para terminar fino.

16 - Vale das Areias Arinto regional Lisboa branco 2015 | Soc. Agríc. Labrugeira -
12,5% vol.
Interessante, mineral forte, fruta exótica presente no nariz, na boca impressiona pela força e nuances de sabor. Boa persistência.

17 - Vale das Areias regional Lisboa branco 2016 | Soc. Agríc. Labrugeira -
12,5% vol.
Fernão Pires, Arinto, Moscatel-Graúdo e Sauvignon. Conjunto simples, mas de bom efeito, preparado e orientado para a mesa petisqueira e cozinhas étnicas, especialmente sushi e caril.

15,5 - Vale das Areias Sauvignon & Arinto regional Lisboa branco 2016 | Soc. Agríc. Labrugeira -
13% vol.
Ambiente geralmente frutado, alguma complexidade, comprimento médio e final elegante. Tudo certo para um fim de tarde soalheiro.

17,5 - Vidigueira Antão Vaz DOC Alentejo branco 2016 | AC Vidigueira, Cuba e Alvito -
12,5% vol.
Bom demonstrador da casta e do terroir. Notas primárias de abacaxi e flores do campo, cresce bem em complexidade na boca e termina em especiaria, sem perder a elegância.

17,5 - Poças Reserva DOC Douro branco 2016 | Manoel D. Poças Júnior -
13,5% vol.
Códega, Rabigato, Gouveio e Viosinho. Estágio aturado em madeira nova de carvalho francês ao longo de 9 meses, com batonnage. Resultado de grande complexidade, sem que as notas de madeira se sobreponham ao conjunto harmonioso do vinho.

18 - Dois Terroirs Velho Mundo XV branco | Quinta do Regueiro -
13% vol.
Não é a primeira vez que a Quinta do Regueiro (Alvarinho Monção e Melgaço) e a Quinta da Casa Amarela (Douro) se juntam para produzir um dos mais originais brancos portugueses. Pode dizer-se que o todo é melhor que a soma das partes. Complexidade e longevidade, além da indiscutível aptidão gastronómica.

17 - Duas Castas regional alentejano branco 2016 | Esporão -
13,5% vol.
Vinho envolvente e rico, com uma frescura algo inesperada, fruto da combinação de castas e de uma adaptação cuidada aos solos e clima alentejanos. Aguente e pede que se guarde um par de anos.

16,5 - Assobio DOC Douro branco 2016 | Murças -
12,5% vol.
Vinho de companhia, lote contém Viosinho, Verdelho, Rabigato, Gouveio e Códega do Larinho. frescura assente na forte mineralidade que apresenta. A acompanhar em edições futuras.

18 - Moinhos do Côa DOC Douro branco 2015 | Artur Rodrigues -
12,5% vol.
Forte base de Rabigato sente-se na boca, marcada pela mineralidade salina dos solos de transição xisto-granito onde está implantada a vinha. Tudo muito bem afinado, belo vinho.

17,5 - Herdade do Rocim regional alentejano branco 2016 -
13% vol.
Antão Vaz, Arinto e Viosinho. Vinho sedutor, enologia bem sintonizada com a maturação fenólica das uvas, resultando num vinho seco, contido, preparado para a mesa e para a cave.

18,5 - Verdelho regional alentejano branco 2016 | Esporão -
13% vol.
Vinho de complexidade notável, estrutura bem montada e uma acidez afinada com a arquitectura definida. Está vibrante e cheio de futuro. Denuncia adaptação perfeita aos solos e clima alentejanos.

16 - In Culto DOC Douro branco 2016 | Zero Defeitos / Casa Agríc. Pinto Barbosa -
13,5% vol.
Interessante, a corresponder ao património duriense na forma standard, com fruta disponível, corpo apreciável. Óptimo para gratinados no forno e petiscos à base de queijo.

17 - Pousio Escolha regional alentejano branco 2014 | Casa Agríc. HMR -
13,5% vol.
Vinho de porte considerável, ligeiramente monolítico mas capaz de resolver carnes assadas, enchidos e arrozes diversos. Fantástico para o bem alentejano ensopado de borrego.

17 - Coroa d’Ouro DOC Douro branco 2016 | Manoel D. Poças Júnior -
13% vol.
Malvasia Fina, Códega, Rabigato, Viosinho e Moscatel Galego branco.
Integração e acidez invulgares, mas a agradar muito e construir um edifício de prova que apetece explorar. Este título tem passado despercebido a muitos enófilos que procuram douros expressivos.

15,5 - Avis Rara Branco Doce regional Península de Setúbal | José Maria da Fonseca -
11% vol.
Moscatel 50% e Fernão Pires 50%. Muito original e apetecível para fechar tardes de canícula e para fazer frente à doçaria local ou a um queijo de Azeitão curado. Vinho de prazer.

17,5 - Pousio regional alentejano branco 2016 | Soc. Agríc. HMR -
13% vol.
Roupeiro, Antão Vaz e Verdelho. Nariz com bastante frescura, na boca separa-se em nuances minerais complexas e fruta tropical pronta, num fundo e fim salino. Belo vinho.

17,5 - Herdade do Rocim Alvarinho regional alentejano branco 2016 | Rocim -
12,5% vol.
Vinho expressivo, típico em quase tudo da casta, talvez mais copioso que o esperado na boca, a crescer bem na prova e criar espaço para harmonização com pratos e petiscos diversos.

16,5 - Monólogo Avesso P67 DOC Vinho Verde | A&D -
13% vol.
Bom exemplar da casta, a pedir alguma contenção na extracção em edições futuras. Baião tem os melhores Avessos da região e há que puxar mais pela elegância que pela força.

18 - Monólogo Arinto P24 DOC Vinho Verde branco 2016 | A&D -
13% vol.
Incrivelmente forte e elegante ao mesmo tempo, o Arinto aqui a espraiar-se e estender-se por impressões florais, frutadas, compotadas e minerais. Vinho impressionante, este.

16,5 - Monólogo Chardonnay P706 regional Minho branco 2016 | A&D -
13,5% vol.
Sente-se-lhe bem o álcool, mas não prejudica as notas típicas do Alvarinho, a criar um ambiente festivo e gastronómico atraente. Óptimo para uma carne assada no forno.

17 - Serras de Grândola Verdelho regional Península de Setúbal branco 2015 | Monte da Serenada -
Mineralidade fascinante, algum toque salino, mas o que impressiona mesmo neste vinho é a estrutura bem urdida, e a acidez que a veste. Especial a muitos títulos.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.